domingo, junho 04, 2006

Irmãos da Bailarina




Excepcionalmente neste domingo eu não trabalhei, mas ficou a cargo da menina Laryne fazer a entrevista do dia e não é que ela se saiu melhor que eu?? Talvez eu me aposente agora e deixe só pra essa mocinha o trabalho sujo. Se liguem na banda Theo & os Irmãos da Bailarina:


Rick, Mark, Rodrigo e Theo


Laryne - Pra começar, se apresentem, falando quais instrumentos tocam e se estudam/estudaram os instrumentos...

Theo - Como instrumentista e compositor sou autodidata, como cantor até pouco tempo atrás também era autodidata, mas atualmente faço aula de técnica vocal.

Rodrigo - Baixista, tomei aula com um puta músico chamado André Luba, que inclusive já tocou e gravou com Theo.

Rick - Guitarrista autodidata.

Mark - Batera, autodidata.

Laryne - Como vocês se conheceram? Quando e como resolveram formar a banda? Desde o começo, é essa mesma formação?

Theo - Bem, a banda surgiu como uma intenção inicial minha, pois na época vinha de um trabalho solo (THEOFILHO - MARTELOBIGORNAESTRIBO) e trazia comigo duas necessidades: a primeira era achar gente que acreditasse e quisesse, junto comigo, apostar naquilo que eu tava construindo; e a segunda que essas pessoas se afinassem entre si para podermos continuar a construção e o amadurecimento do trabalho com a participação ativa de todos do grupo. Então foi assim, primeiro apareceu Rodrigo (Boca), depois veio Rick (Bonadio), depois veio Mark (Markito). Até chegar a essa formação passamos por outros dois bateras e por três guitarras. Só o baixo é que é o mesmo desde o inicio dos Irmãos da Bailarina.

Laryne - Vocês tiveram algum outro projeto antes? Tocam/tocaram em outras bandas?

Theo - Fiz voz e violão na noite por um bom tempo, fiz parte da Rocamoma (grupo de música Pop, onde o som era basicamente de fusões de músicas da MPB, Regionais com músicas internacionais), depois o trabalho solo – MarteloBigornaEstribo, do qual mantivemos algumas músicas, mesmo que com uma pegada mais pesada, afinal precisamos vender esse CD, já que temos ainda umas 2.000 cópias.

Rodrigo - Toco também na Abre-te Sésamo e na Acelaratriz. Já toquei na Revertério e na Meia Noite e Meia.

Rick - Toco também na Tharsis, banda de Death Metal.

Mark - Eu também toco na Abre-te Sésamo e na 220V e já toquei na No Silence, na Comboio e na Sirinx.

Laryne - A maioria das músicas apresentadas no show é autoral. Pode nos contar um pouco sobre como surgem as letras, músicas..? Todos na banda compõem?

Theo - As composições básicas são minhas e elas são feitas no violão. Depois eu mostro para os meninos e juntos formatamos e amadurecemo-las de fato. Ou seja, no final todos compõem juntos. Elas surgem de diversas formas: no carro, no banheiro, no sono, no choro, na euforia, na alegria, na frustração; e o engraçado é que já vêm junto com a melodia. Como para toda ação existe uma reação, acho que elas são nada mais que uma reação da minha existência para todas as coisas que acontecem e me tocam, ou até que deixam de acontecer.

Laryne - Além das músicas próprias, rola também versões pra músicas de Raul Seixas, Chico Buarque, Cazuza... E fica bem claro a influência deles no som de vocês. O que mais poderia ser citado como influência?

Theo - Rock 70, Progressivo, Brit Pop, Experimental, Música Popular Brasileira das mais antigas às mais contemporâneas. Em nomes, poderíamos citar Titãs (década de 90), Paulinho Moska (CD Falso), Cauby Peixoto, Radiohead, Blur, Queens of the Stone Age, Pink Floyd, Led Zepellin, Yes, The Cure, etc...

Laryne - Vocês acompanham a cena rocker baiana? Tem alguma banda/cantor daqui que vocês admiram? Com quem gostariam de dividir o palco?

Theo - Sim! Porra, velho, vários! A começar por Cascadura, The Honkers, Los Canos, Ronei Jorge e Ladrões de Bicicleta, Vinil 69, Lou, Brinde, Demoiselle, Sangria, Lilit, Irmão Carlos e o Catado, Dão, posso continuar citando aqui a maior galera, pois tem gente pra caralho fazendo bom som aqui na terra.

Laryne - Atualmente, a Internet têm sido um ótimo aliado à música independente, tornando possível a construção de pontes entre as bandas e uma maior divulgação da música. Quais os canais que vocês usam/pretendem usar para mostrar o som de vocês cada vez mais?

Theo - Todos os possíveis, os sites vinculados à cena local e à cena brasileira de uma forma geral, blog, etc... Temos cadastro na Trama Virtual, Pure Volume e Palco MP3, além de Fotolog e Orkut, e-mail onde vocês podem ficar sempre por dentro das novidades.

Laryne - Quais os planos que vocês têm em mente? Sei que Theo Filho lançou um CD solo há um tempo atrás e que algumas das músicas desse CD continuam sendo trabalhadas com a banda. Vocês pretendem registrar novamente essas músicas, gravar as novas...?

Theo - Gravar só música nova, afinal tem música pra caralho ainda, doida pra ser trabalhada, e eu não agüento mais elas me enchendo o saco!

Laryne - Uma pergunta que não pode faltar: Por que "Os Irmãos da Bailarina"?

Theo - Na verdade, é uma homenagem a nosso grandioso Chico Buarque e ao não menos grandioso Edu Lobo, que juntos compuseram a Ciranda da Bailarina, cuja letra semeia de uma forma bem tranqüila e um tanto quanto sarcástica, aquela velha máxima (não sei se é uma máxima, mas pelo ao menos uma filosofia é) de que ninguém é melhor do que ninguém, que todo mundo tem medos, problemas, felicidades, segredos, limitações, etc, etc, etc... E afinal como nenhum deles é zarolho, chegamos à conclusão de que só poderiam ser Irmãos da Bailarina!

Laryne - Como vocês definiriam o som de vocês?

Theo - Puro Feeling, livre de amarras, hibrida, despretensiosamente pretensioso, naturalmente permissivo (basta ver as diversas influências da Banda), melhor como o som é nosso mesmo, definimos ele simplesmente como música!

Laryne - Alguma coisa a acrescentar?

Theo - ABRA O PEITO E ENCARE! ABRA A ALMA E ASCENDA! ABRA A BOCA SÓ SE FOR PARA CUSPIR O SEU CORAÇÃO!

6 Comments:

Anonymous Anônimo said...

Poooowxa!!
Valeu Miwkyta!!
Rock ai!
Esutem a banda, é foda!!

www.theoeosirmaos.palcomp3.com.br
www.myspace.com/theoeosirmaosdabailarina

uhuuw!
go!
bjss

00:29  
Anonymous Iva said...

Assisti um show deles e uma amiga me deu de presente o cd, é muito boa a banda.Quero sempre poder ir vê-los e essa frase final do Theo define a essência de ser faz algo amando.
Sucesso ao Theo e Os Irmãos da bailarina e ao rock independente de Salvador.
Miwky se aposenta já viu!!!!
Hehehehe.

00:46  
Anonymous Anônimo said...

Este comentário foi removido por um administrador do blog.

01:26  
Blogger miwky said...

rapaz, botei todos os links pra escutar a banda na entrevista, não é colorido à toa.

iva, já tô velha mesmo, mas o rock precisa disso: sanguinho novo!!

sexta, dia 09, todo mundo no calypso, viu!?

17:13  
Anonymous Anônimo said...

mas num funciona, ó miwky!
auhauhauhuhauhauha
:P

17:19  
Blogger miwky said...

devidamente consertado.

15:01  

Postar um comentário

<< Home