segunda-feira, março 20, 2006

Falcão - Meninos do Tráfico

Eu não sei vocês, mas eu achei uma perda de tempo a exibição deste documentário, ontem pela Rede Globo. Incrível como um assunto tão grave, de tamanha urgência, tenha se diluído nas opiniões dos "pensantes" que a emissora elegeu para a première do trabalho de pesquisa de Mv Bill e Celso Athayde. Eles rodaram 3 anos em favelas e comunidades de morro do país inteiro atrás daqueles relatos.

Acredito que o rapper e documentarista imaginava uma repercussão diferente em se tratando da penetração que a Globo tem nos lares brasileiros. Imagino que ele queria que aquela realidade fosse ao âmago de cada telespectador, que gerasse uma revolução, mas quase tudo não passou de um ibope estrondoso e puro circo.

Eu espero não cair no exagero, contudo o que era a Camila Pitanga falando, meu Deus?! e a Glória Perez comentando que o crime compensa? Pior é que foi tudo montado pra ser assim. Mv Bill, por exemplo, que intereferiu em vários momentos da exibição, não teve a menor chance depois dos escolhidos do fantástico.

Que postura mais rídicula, pra não dizer chocante, diante das informações que os "amigos" da "firma", na língua do morro: os peões do tráfico, estão morrendo cada vez mais jovem em nome de sua sustentabilidade, que não chega a ser grande coisa, como sempre me iludi. Um soldado do tráfico não ganha diferente de um assalariado, aquele legalizado, com direito a benefícios sociais. Ele ainda espera sair dessa vida, mas não tem a fantasia de que seu destino seja realmente outro.

Esse foi um relato fora do habitual deste blog, eu sei. Mas diferente de Manoel Carlos, Glória Perez, Camila Pitanga, Cacá Diegues e Luís Fernando Veríssimo considero Falcão - meninos do tráfico mais assunto que um roteiro pra próximo filme ou novela. Eu quero viver num país digno. Pelo amor de Deus, isso não é pedir muito, é?

Vou enviar pedido de providências urgentes às autoridades competentes, sejam lá quem forem, acionarei meu deputado, a OAB, a ONU e quem mais de direito, colocando-me a disposição e me mostrando muito indignada. Sei que sou uma gota no oceano, mas pretendo que mais me sigam.

11 Comments:

Blogger Gabriela R. Almeida said...

Miwky, eu fiquei puta pq esqueci de assistir. Queria muito ter visto, pq tem a ver com o meu projeto de pesquisa e video que fiz como TCC da graduação. Recentemente assisti Notícias de uma GUerra Particular e achei ruim, e queria saber se esse video era no mesmo quilo. Much ado about nothing, entende?
Ridículo foi o Jornal Hoje de hoje repercutindo a exibição do documentário ontem com uma matéria sobre o perfil dos usuários de maconha. Uma lástima.
Ridículo também ver o Ministro da Justiça dizendo que o documentário tocou o país, e blá blá blá, como se aquele conteúdo fosse inédito, como se nem ele nem ninguém mais soubesse que aquelas coisas acontecem. Beleza que ele anuncie que vai fazer alguma coisa, mas só pq a porra do documentário foi exibido pela Rede Globo e alguns gatos pingados e ONGs vão cobrar providências do governo?
Não sei você, mas eu não tenho NENHUMA esperança de que o problema do tráfico de drogas no Rio de Janeiro (e nem em lugar nenhum do Brasil) tenha solução, ou que a classe média enxergue o problema de forma menos maniqueísta. Outro dia eu estava no refeitório da TV numa mesa com um monte de gente da produção, e uma menina contava que tinham tentado assaltar ela no dia anterior, e tal... Uma figura me saiu com a pérola de que ela ficava puta da vida com essas coisas pq roubar ela também sabia. Não quis discutir, mas tb não quis continuar ouvindo. LEvantei da mesa educadamente sem acreditar que aquilo saia da boca de uma pessoa educada (pelo menos formalmente). E olhe que eu sou beeeeeeem poliana e NADA militante (odeio "istas" de qualquer espécie - feministas, ambientalistas, o-caralho-a-quatro-istas e idealistas, principalmente).

16:34  
Blogger miwky said...

gabie, eu não assisti a "notícias...", mas eu vi momentos tocantes pra caralho, tenho certeza de que não foi como tocou a glória perez, mas ouvi um menino dizer que quando morrer ele ia descançar, foi foda.

eu não desisto da humanidade, gabie.

tô de saco de gente procurar paliativo com a porra da guerra urbana. acho que vai chegar um momento em que o mulherio das favelas e do morro vai fazer baixar a natalidade lá e não vai ficar um. pq neguinho vai morrer e não vai ter outro pra pôr no lugar.

de qq sorte, tente ver o vídeo pela net: www.globo.com/fantastico
e tire suas próprias conclusões.

'a mudança começa com o indivíduo.'

17:11  
Blogger Davi & Iris said...

assisti o doc. quando começaram os depoimentos globais, desliguei a tv. é claro que a globo não iria perder a oportunidade de explorar o doc, mas tenho que concordar, é um trabalho muito importante. os depoimentos são lúcidos. achei interssante o formato e o tratamento das imagens ( é claro que isso é o de menos em comparação com a gravidade do tema).
abraços
iris
(que bom que vc postou sobre isso)

19:05  
Anonymous deo said...

pô, não dá pra levar mv bill a sério;o cara aparece armado num show na mtv e faz cara de bom moço na globo,o cara diz que o filme cidade de deus desrespeita a comunidade e mostra crianças cheirando pó dizendo ser denúncia,se diz anti burguês e submete seu documentário-denúncia aos "comentários" de pessoas oportunistas que se acham no direito de julgar uma coisa que nem de perto eles já passaram.afinal o que abilita aquelas pessoas a falarem o que acham?não iteressa saber o que eles acham.
E mais um pseudo-revoltado se rende aos encantos da globo.um bando de babacas.

12:47  
Blogger miwky said...

irís, pois é. tô preparando o documento e vou postar a carta aqui de novo. é só aguardar.


deo, a muito tempo o mv bill mudou o discurso. normal. as pessoas vão aprendendo com as porradas que toma.
acredito que ele tb é contra a globo, mas sabe como é útil usá-la pra passar a mensagem.
eu tenho uma história horrível pra contar de umas férias que passei no rio, no leblon, que fica pertinho do morro do vidigal.
chega de banalizar a coisa. a sociedade civil tem de tomar o pé da situação. começo por mim, mesmo. foi mal a redundância, mas é que abarca o meu sentimento.

13:04  
Blogger Davi & Iris said...

sinceramente e sem muitas palvras bonitas: tá foda mesmo. Eu amo tanto o Rio e fica complicado entender isso. As coisas estão se perdendo. é complicado o sentimento de não poder fazer nada. tem que ter uma saída.
abraços
i

13:33  
Anonymous deo said...

Usar a globo pra passar mensagem?
que inocência é essa?

14:51  
Blogger miwky said...

man, não é inocência. a globo está em cerca de 90% dos lares. claro que a globo deturpou um pouco a intenção, transformando tudo em circo, mas o documentário chegou a mim, não foi?? chegou a vc e chegou a zezinho da padaria, aos mayrinck veiga, etc...

15:32  
Anonymous deo said...

tá bom

19:53  
Blogger Gabriela R. Almeida said...

Pra quem ficou chocado, achou o conteúdo do material exibido pela Globo inédito ou se interessou por saber mais sobre o tema, sugiro a leitura do livro "Abusado", de Caco Carcelos.

No Correio da Bahia de ontem tem uma matéria muito boa de Doris:
http://www.correiodabahia.com.br/2006/03/21/noticia.asp?link=not000130272.xml

Na Folha de ontem também tem matéria, mas o acesso é exclusivo para assinantes UOL: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrad/fq2103200610.htm

10:58  
Blogger Gabriela R. Almeida said...

Este comentário foi removido por um administrador do blog.

10:58  

Postar um comentário

<< Home